Carrinho de compras

0

Seu carrinho de compras está vazio

Vá a loja

JEJUM INTERMITENTE: O QUE É, COMO FAZER E PRINCIPAIS DÚVIDAS

Por: :Iuri Torquato 0 comentários
JEJUM INTERMITENTE: O QUE É, COMO FAZER E PRINCIPAIS DÚVIDAS

Chega verão e a maioria das pessoas busca diversas fórmulas para obter emagrecimento de forma mais rápida. O jejum intermitente é uma delas e faz um enorme sucesso inclusive entre famosos e respeitados profissionais da saúde.

Mas, afinal, o que é jejum intermitente? Como fazer? É saudável? Todas essas perguntas serão respondidas neste artigo completo sobre a dieta que até a atriz Deborah Secco já aderiu.

O que é Jejum Intermitente?

O jejum intermitente é um método de emagrecimento super restrito.

Quem adere fica um tempo prolongado sem comer com o objetivo de fazer com que o corpo utilize os estoques de gordura e com isso haja perda de massa gorda.

Dentro desse método, são indicadas entre 10 a 24 horas de jejum, dependendo do objetivo e das condições de saúde da pessoa. Afinal, a dieta não é indicada para todos.

Existem pelo menos três tipos de jejum intermitente. Para escolher ou seguir um deles, é necessário ter a orientação de um profissional (endocrinologista, nutricionista ou nutrólogo).

Jejum 12 horas

É tipo mais comum de jejum intermitente. Nele, a pessoa passa a metade do dia sem comer. Na prática, realiza-se as três refeições do dia e fica sem comer das 20h às 8h da manhã.

Sistema Leangains

Desenvolvido pelo sueco Martin Berkhan, esse tipo de jejum intermitente propõe que a pessoa fique 16 horas sem comer. Nas oito horas seguintes, chamadas de janela de alimentação, deve-se consumir de duas a três refeições.

Jejum 24 horas

Neste, a pessoa escolhe um ou dois dias da semana que ficará completamente em jejum. Na prática, ela faz uma refeição e voltará comer no mesmo horário do dia seguinte. Por ser mais restritivo, esse sistema é mais difícil de se adaptar.

Prós e contras do jejum intermitente

Além do emagrecimento, o jejum traz outros benefícios para o organismo.

Entre eles, as pessoas que realizam jejum experimentam mais disposição, clareza mental e controle da glicemia e insulina.

Além disso, estudos apontam que a prática ajuda a saúde do coração porque o corpo em jejum utiliza uma substância chamada betahidroxibutirato como fonte de energia.

Em contrapartida, o jejum intermitente pode gerar tendência a compulsão, afinal de contas ficar muito tempo sem comer torna-se um risco de descontar na próxima refeição.

Por essa razão, é importante realizar a prática sob a orientação de um profissional.

Como fazer o jejum intermitente

Como mencionado, o primeiro passo é buscar orientação de um profissional.

Depois, o ideal é selecionar alimentos com alto poder de saciedade, como proteínas, verduras, legumes e carboidratos ricos em fibras.

Durante o jejum, faça a ingestão de líquidos sem calorias, como água, café (sem açúcar) e chás.

Além disso, nas refeições, evite cereais refinados, como arroz branco, pão branco, massas, doces e alimentos industrializados.

Para a quebra do jejum, a recomendação é que inicie o pós-jejum com poucos alimentos com baixo índice glicêmico.

Outro protocolo a ser seguido é evitar compensar o que não comeu durante o jejum. Faça uma refeição como se não estivesse em jejum.

O jejum intermitente realmente emagrece?

Estudos indicam que o jejum intermitente é igualmente eficaz às dietas tradicionais.

Nesse programa de alimentação, os resultados variam de pessoa para pessoa, uma vez que depende das circunstâncias e da quantidade de peso do indivíduo.

Há um risco de que, uma vez que a pessoa para de jejuar, o peso volta, gerando o famoso efeito sanfona.

Portanto, a eficácia desse método a longo prazo depende da pessoa em manter o estilo de alimentação saudável.

Vale a pena?

Depende. O jejum intermitente ainda divide opiniões de profissionais.

Assim como o método possui benefícios, tem suas desvantagens.

Por isso, o ideal é tomar essa decisão com o auxílio de algum profissional de confiança.

Além disso, idosos, jovens (menores de 18 anos), aqueles que estão tomando medicação ou têm distúrbios alimentares devem evitar o jejum intermitente.

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais! Para mais dicas, acesse o nosso blog. Por lá, você encontra muitas novidades sobre vida fitness, alimentação saudável e alta performance em treinos.

Deixe um comentário